Falando sobre...

Falando sobre ESTRIAS!

10:25

Oi oi meninas! Tá tudo bão por aí? Domingão, dia de post didático, como vocês já sabem, e hoje fiz diferente. Como sempre trago assuntos que focam mais a face, porém hoje vim falar de uma disfunção estética que acomete o corpo. E pretendo trazer mais temas assim caso gostem. Falo hoje sobre ESTRIAS! Sim, as temidíssimas linhas vermelhas e/ou brancas que incomodam mulheres e alguns homens também. Então, vamos lá?

O que são estrias?

As estrias são cicatrizes adquiridas que se formam quando há o rompimento de fibras elásticas e colágenas na pele, que normalmente é causado por um estiramento da pele. O aparecimento das linhas se dão devido a diminuição da espessura da derme e da epiderme.



Incidência e Fatores de risco

Acomete ambos os sexos, porém as mulheres, na puberdade, são mais acometidas. Gestantes, obesos e pessoas com doenças infecciosas tendem a sofrer uma distensão grande na pele e ganharem as cicatrizes.
Outra causa comum, hoje em dia, é o surgimento de estrias após a colocação de próteses de silicone, pois isso causa uma distensão abrupta dos tecidos.
Acredita-se ainda, que o surgimento de estrias seja multifatorial, e que existe uma predisposição genética e familiar em alguns casos.
Os locais mais submetidos são: abdome, quadris, glúteos, região lombo-sacral e seios.
Em homens é mais comum nos ombros, braços e costas. Normalmente os mais propensos a terem estrias são os que praticam a musculação excessiva ou abusam de anabolizantes. O ganho de peso e o crescimento acelerado também são fatores de risco no caso dos homens.


Tipos de estrias e suas características

Estria Rubra (Fase inicial)
  • Nota-se uma erupção nas linhas e possuem a cor rosada;
  • Há um processo inflamatório intenso, devido à fragmentação das fibras teciduais;
  • Pode haver coceira;
  • Dor (apenas em alguns casos);
  • Presença de vasos dilatados.

Estria Alba (Fase tardia)
  • As lesões tornam-se esbranquiçadas e nacaradas;
  • Fibras elásticas sofrem grande alteração e ficam com aspecto fibrótico;
  • Há redução ou ausência de vascularização na estria.



Tratamentos

Listei abaixo alguns dos tratamentos que podem ser realizados:

Micropuntura: utiliza-se uma agulha para promover lesão na cicatriz, fazendo com que haja uma revascularização e reparação do tecido no local.



Peeling químico: normalmente é feita aplicação de ácidos que causam uma esfoliação química ou que agem através da descoloração (no caso das linhas rubras).



Microdermoabrasão: a pele é submetida a uma abrasão, onde é restabelecida a vascularização e oxigenação do tecido, estimulado-o a reparar o local afetado pelas estrias.



Carboxiterapia: consiste na aplicação de gás carbônico medicinal nas estrias, estimulando a oxigenação local e a produção de colágeno naturalmente para preenchimento das cicatrizes.



Vacuoterapia: é utilizado um método de sucção da pele. Aplicando esse método localizado nas estrias, ocorre uma revascularização e oxigenação do tecido, promovendo melhora na aparência das estrias.





Ressaltando que a eficácia do tratamento irá depender da fase em que a estria está, o local em que ela se encontra e sua espessura. Vale também lembrar que o problema não tem cura total, mas na aparência, há uma melhora bem visível. A genética, a raça, a idade e a produção de colágeno da pessoa são fatores que influenciam, e muito, nos resultados do tratamento.



E aí meninas (e meninos também)? Espero que tenham gostado e entendido um pouquinho mais sobre essa disfunção estética!
Por hoje é isso, deixo aqui meu beijo enorme e até o próximo post! 




Você pode gostar também

0 comentários

Último Vídeo

Curta a fanpage