Falando sobre...

Falando sobre Celulite

09:11

E aí, lindurinhas? Tudo ok por aí? Que tal saber um pouco mais sobre aqueles malditos furinhos que tanto incomodam as mulheres? Pra muita gente isso pode não ser um problema, mas acredite, tem muita gente também que se sente com autoestima baixa e com vergonha de colocar aquele shortinho ou biquíni no verão...
Então vem entender o que acontece, as causas e possíveis tratamentos lendo o post até o final!





Afinal, o que é celulite?
A celulite, ou FEG (Fibro Edema Gelóide, nome conhecido entre os profissionais), é uma disfunção estética localizada que afeta a pele e a camada adiposa do nosso corpo. Ocorrem alterações vasculares e retração da derme, podendo causar dor e diminuição das atividades funcionais nas zonas acometidas.
Tudo se inicia, quando há o aumento das células de gordura, que causam compressão dos vasos sanguíneos no local. Isso faz com o que os líquidos do nosso corpo sejam impedidos de serem drenados naturalmente pelo sistema linfático, e esse líquido acumulado, acaba inundando o tecido, gerando uma congestão tecidual.
Como esse líquido extravasado possui resíduos de células vizinhas, e faz com que o nosso organismo entenda que isso sejam corpos estranhos, e com isso é gerada várias reações de defesa, dentre elas a proliferação e espessamento de fibras colágenas. Esse tecido fibrosado, é o que retrai a pele (formando os malditos furinhos!), além causar compressão em todo o tecido, vasos e terminações nervosas, causando dores à palpação ou qualquer tipo de pressão no local.



O que causa?
A celulite pode ser causada por inúmeros fatores, dentre eles genética, idade, sexo (pois acomete mais as mulheres), desequilíbrios hormonais, raça, biótipo, estresse, fumo, sedentarismo, maus hábitos alimentares, alterações do metabolismo, gravidez entre outros.


A celulite é dividida em 4 graus:

Grau I: Percebido somente quando há compressão tecidual ou contração muscular voluntária. Não é visível quando a região encontra-se em repouso e não há alteração de sensibilidade dolorosa.

Grau II:  As depressões já são visíveis quando a região encontra-se em repouso, e são aumentadas quando há compressão tecidual ou contração muscular. Pode haver alteração leve de sensibilidade.

Grau III: Depressões visíveis em qualquer posição. A pele encontra-se flácida e com muitos relevos. A sensibilidade dolorosa é maior.

Grau IV: Fibroses irreversíveis. A pele encontra-se muito flácida, relevos predominam a região e a sensibilidade dolorosa já está bem comprometida.



Quanto aos tratamentos, são vários que podem ser utilizados, variando desde de procedimentos cirúrgicos até procedimento tópicos, dependo do grau em que se encontra cada caso.

Sugestões de tratamentos:

Subcisão (cirúrgica)
Terapia nutricional
Terapia medicamentosa
Fortalecimento muscular
Eletroterapia como: carboxiterapia, ultrassom, endermologia, eletrolipoforese, terapias associadas
Drenagem Linfática


E aí, gostaram, amores? Agora que já entederam um pouquinho, se raciocinarmos, já saberemos o que mudar nos hábitos de vida para poder evitá-las, né? 
Então vou ficando por aqui, um super beijo e até mais! 



Você pode gostar também

4 comentários

  1. tenho celulites as minhas são de grau um pelo que eu vi nas fotos, mas nem ligo hahaha Amei o post <3 Beijos e sucesso
    http://listeixeira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaa que maravilha, grau I é quase nada! hahahaha
      Fico muito feliz que tenha gostado! Um beijo enorme e sucesso pra ti também! <3

      Excluir
  2. Amei Nathália a explicação referente ao texto sobre celulite, isso mostra, a profissional que é.
    Beijos.
    Elaine

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado, Elaine! E agradeço a visitinha também.
      Um super beijo! <3

      Excluir

Último Vídeo

Curta a fanpage